Editorial

20/09/2019

“Crimes Delicados” é uma comédia instigante sobre a manipulação do poder, destaca diretor

Espetáculo aposta na força do diálogo, no humor e na rapidez da trama para prender o público

“Crimes Delicados” é uma comédia instigante sobre a manipulação do poder, destaca diretor

Peça retrata de forma cômica o plano de um casal para matar a empregada e sair impune
(Arte: Tutu)

O empenho de um casal de classe alta em tramar e cometer um assassinato, algo que terá consequências imprevisíveis, dá vida ao espetáculo Crimes Delicados, em cartaz até 29 de setembro no Teatro Raul Cortez.

O roteiro é simples: Lila (André Junqueira), fascinada com a série de crimes relatados no jornal, decide matar. Juntamente com o marido, Hugo (Well Aguiar) – arrastado pelo desejo urgente da esposa –, ela detalha ao público seu plano inicial: sumir com a empregada da casa, Efigênia (Daniel Dantas), a figura de quem ninguém sentirá falta. A texto ganha um tom tragicômico e absurdo, enquanto o suspense crescente envolve a plateia instantaneamente.

Lila fica diante do grande contratempo quando as coisas tomam um rumo diferente do esperado. Efigênia é muito resistente às tentativas do casal, que chega a questionar a própria realidade e se sente encurralado na sucessão de eventos que dão curso ao espetáculo.

A peça tem a característica de envolver a plateia na confusão pela qual passam os personagens, mas sempre utilizando recursos do humor nas nuances dramáticas com diálogos rápidos e precisos para prender a atenção de quem está assistindo.

Veja também:
Orquestra de Concepción apresenta clássicos do rock e do cinema no Teatro Raul Cortez
Sete mil pessoas devem visitar exposição “UM BRASIL em charges” na Universidade São Judas
Peça “O Inoportuno” carrega marcas tradicionais do autor

O diretor Marcus Alvisi afirma que a força do texto reside no fato de ser atemporal, uma vez que aborda o abuso de poder de um casal que tem na impunidade uma certeza. “Parece uma temática interminável. Uma comédia instigante sobre a manipulação do poder em seus meandros mais obscuros. Inclusive o poder de matar. Entretanto, paradoxalmente, trata-se de um texto solar. Essa ambiguidade entre luzes e sombras faz desse espetáculo uma peça com matizes quase surrealistas e precisão cirúrgica em seus diálogos”, diz.

Ele também comenta a simplicidade da trama. “A linguagem e a urdidura da trama respiram num só rasgo. Desde a primeira palavra já é possível criar a atmosfera dessa obra. A ação dramática se avoluma a cada fala, pois o texto é trabalhado com rigor e sem arestas”, pontua.

A especialista em marketing digital, Aline Barreto, que esteve presente na estreia, observa o quanto o texto permeia por caminhos inesperados. “Eu não conseguia parar de pensar em como aquela trama toda parecia cada vez mais imprevisível e absurda, mas o elenco conseguiu me prender logo nos primeiros minutos, principalmente em relação a como utilizam o humor para dar leveza a um assunto sério”, fala.

Crimes Delicados foi escrita na década de 1970 pelo escritor José Antônio Souza (falecido em julho deste ano). Os três atores que dão vida à peça também estão em O Inoportuno – em cartaz no Teatro Raul Cortez de sexta a domingo até o dia 29 de setembro.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro, localizada na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), de terça a sábado, a partir das 15h, ou pelo site do Sympla.

Serviço
Crimes Delicados
Apresentações: Sábados, às 18h, e domingos, às 16h / até 29 de setembro
Teatro Raul Cortez: Rua Doutor Plínio Barreto, 285, Bela Vista, São Paulo – SP
Tel. (11) 3254-1633
e-mail para contato: teatro.raulcortez@fecomercio.com.br'