Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

25/09/2020

Investimento em delivery e impacto do dólar nos produtos importados alavancam crescimento de rede de perfumaria nacional

O diretor da Água de Cheiro, Olindo Caverzan, relata à FecomercioSP os planos de expansão da empresa e fala das conquistas após as dificuldades durante a pandemia de covid-19

Ajustar texto: A+A-

Investimento em delivery e impacto do dólar nos produtos importados alavancam crescimento de rede de perfumaria nacional

"Consumidores estão optando, agora, por artigos que tenham uma boa entrega e que sejam nacionais", diz
(Arte: TUTU)

A rede de perfumaria Água de Cheiro obteve resultados positivos nas vendas e na abertura de franquias mesmo na pandemia de covid-19. Após o susto do fechamento das lojas localizadas em shoppings, a empresa implementou um delivery. O resultado foi um aumento de 16% no produto por atendimento e no tíquete médio das lojas, conforme relata o diretor da Água de Cheiro, Olindo Caverzan, no mais recente podcast da série Mercado & Perspectivas, da FecomercioSP.

“Inauguramos, de março até agora, 16 novas operações, ou seja, os processos de implantação de lojas dos contratos que foram vendidos, antes do pico da pandemia, seguiram adiante neste ano, até porque a maioria é para lojas de rua”, diz Caverzan, que destaca a previsão de abertura de unidades no Guarujá e em Santos, litoral de São Paulo, para os próximos meses.

Saiba mais sobre o varejo na pandemia:
Uso de provadores de roupas volta a ser permitido em lojas na cidade de São Paulo
Consumidor muda forma de escolher marca durante a pandemia de covid-19; saiba o que ele prioriza
Varejo de construção identifica aumento no interesse do cliente na pandemia de covid-19

Outro fator responsável por esse crescimento foi o aumento do dólar, que encareceu os produtos importados do segmento. “Embora os itens de perfumaria e beleza não sejam considerados de primeira necessidade, no Brasil, aparentemente o são. Por causa da crise dos produtos que sofrem diretamente com o impacto do dólar, sabemos que os consumidores estão optando, agora, por artigos que tenham uma boa entrega e que sejam nacionais”, afirma Caverzan.

Ouça o podcast

O conteúdo também está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.