Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

07/10/2020

Parcerias para auxiliar os fornecedores e consolidação de diferentes canais de venda são boas opções para o varejista de moda

Diretora de operações da Renner, Fabiana Taccola, fala das ações adotadas pela empresa e dos resultados obtidos

Ajustar texto: A+A-

Parcerias para auxiliar os fornecedores e consolidação de diferentes canais de venda são boas opções para o varejista de moda

Empresa já buscava maneiras de chegar à casa do cliente antes mesmo do fechamento das lojas
(Arte: TUTU)

A varejista de moda Renner investiu em parcerias focadas em auxiliar os fornecedores e na consolidação de novos canais de vendas e atendimento ao consumidor desde o início da pandemia de covid-19. Na entrevista, publicada nesta quarta-feira (7), da série Mercado & Perspectivas – uma iniciativa da FecomercioSP –, a diretora de operações da Renner, Fabiana Taccola, lembra dessas ações adotadas pela empresa e dos resultados obtidos.

“Fizemos uma parceria com o BNDES, para poder facilitar o acesso ao crédito por parte dos fornecedores, e com o Sebrae, para ajudar as pequenas e médias empresas fornecedoras a passar pela crise. Também houve uma mudança interna muito grande – e falo de agilidade, de áreas mais colaborativas formadas por pessoas com muito mais liberdade para tomada de decisão, além de gente com capacidade para colocar rapidamente testes no ar, a fim de atender o consumidor o mais rápido possível”, destaca Fabiana.

Saiba mais sobre as mudanças ocorridas na pandemia:
Consumidor muda forma de escolher marca durante a pandemia de covid-19; saiba o que ele prioriza
Fique por dentro de inovações nas plataformas de vendas que podem ser aplicadas na moda feminina
Vestuário é a atividade mais afetada pela pandemia e deve fechar o ano com queda de 25% no faturamento
Fique por dentro das tendências do varejo de calçados no Brasil

Na entrevista, ela também explica que a empresa já buscava maneiras de chegar à casa do cliente não só pelo e-commerce, mas por meio de outros canais (como o WhatsApp), antes mesmo do fechamento de todas as lojas localizadas no Brasil, no Uruguai e na Argentina, em março.

Ouça o podcast

O conteúdo também está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.