Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Sustentabilidade

03/04/2017

Plataformas auxiliam gestão ambiental

Sistemas on-line reduzem as falhas na organização de dados e processos e as chances de autuações de órgãos ambientais

Ajustar texto: A+A-

Plataformas auxiliam gestão ambiental

Para a FecomercioSP, poder contar com ferramentas digitais para rastrear efluentes, resíduos e produtos pós-consumo é um passo importante na busca pela redução dos impactos ambientais das atividades comerciais
(Arte TUTU)

Por Deisy de Assis

As plataformas on-line são aliadas das micro, pequenas e médias empresas quando o assunto é a busca por eficiência na gestão ambiental. O uso de sistemas permite, por exemplo, o rastreamento de resíduos e produtos pós-consumo, além da organização de certificados e licenças. Os resultados incluem a redução de impactos à natureza, a segurança jurídica do negócio e mais confiabilidade entre os clientes.

Inscreva-se no 6º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade.

Esses são justamente os benefícios que o uso de uma ferramenta tecnológica tem proporcionado para a R&C Prado Limpa Fossa, pequena empresa que presta os serviços de manejo e transporte de esgoto industrial e domiciliar a aproximadamente 70 clientes – entre indústrias e condomínios comerciais e residenciais da região metropolitana de São Paulo.

A administradora da companhia, Carla Aparecida de Paula Prado, comenta que precisou contratar o serviço de tratamento dos efluentes coletados dos clientes. Isso porque a atuação da R&C no mercado é especificamente com a coleta e o transporte do material, mas, após esse serviço, os efluentes precisam ter a destinação final correta, o que fica sob responsabilidade da corporação. A contratada foi a Tera Ambiental, que oferece a todas as empresas clientes, além do tratamento de efluentes, o Sistema de Remessas de Esgoto (Sisrem), plataforma on-line que reúne as informações envolvidas nos processos.

Assim, a R&C passou a contar com a ferramenta para registrar e gerenciar aproximadamente 350 metros cúbicos de efluentes por mês, o que corresponde a 350 mil litros de resíduos. Ao longo de 2016, foram 3.759 metros cúbicos, ou seja, mais de 3,7 milhões de litros. Para se ter uma ideia do volume, essa quantidade é superior à necessária para preencher uma piscina olímpica.

“Antes, não tínhamos as informações de destinação desses efluentes organizadas, o que nos deixava sob um grande risco jurídico diante dos clientes e de órgãos ambientais”, afirma Carla, que centraliza a maior parte das atividades de gestão da empresa e não possui funcionários suficientes para realizar um trabalho minucioso de acompanhamento desse volume de dados e dos prazos de licenças ambientais.

Segurança jurídica

Ela frisa que o recurso tecnológico foi crucial para a continuidade dos negócios, uma vez, ainda que os procedimentos estivessem corretos, a ausência de documentação dos processos com os efluentes poderia acarretar multas e até o encerramento das atividades da empresa.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), só em 2016, aplicou 6,3 mil advertências, três mil multas e 190 embargos a empresas paulistas por inconformidades ambientais de diferentes tipos.

Embora o órgão não possua especificações que mostrem o porcentual de falhas com origem na má gestão, a coordenadora de back office da Tera Ambiental, Viviane Soldera, uma das envolvidas nos trabalhos com o Sisrem, afirma que a ausência ou ineficiência no controle de dados e de documentos correspondentes a licenças é um dos principais fatores que acarretam em erros passíveis de autuações.

Autonomia ao pequeno empresário

De acordo com Viviane, esses benefícios que o sistema oferece foram possíveis a partir do desenvolvimento de uma plataforma customizada. “O Sisrem desburocratiza a gestão, o que facilita o controle do empresário, em especial os proprietários de negócios de menor porte e acabam concentrando um grande número de atividades.”

Ela cita a possibilidade de o empreendedor obter, de forma autônoma, relatórios e certificados mensais de destinação final dos resíduos e efluentes, bem como o controle dos prazos de renovação de documentos importantes para o funcionamento da companhia, como é o caso do Certificado de movimentação de resíduos de interesse ambiental (Cadri), que é concedido pela Cetesb.

Segundo a assessora técnica do Conselho de Sustentabilidade da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Cristiane Cortez, poder contar com ferramentas digitais para rastrear efluentes, resíduos e produtos pós-consumo é um passo importante na busca pela redução dos impactos ambientais das atividades de diferentes segmentos.

“Para o pequeno empreendedor, o benefício é ainda maior, diante das inúmeras dificuldades que os negócios de menor porte têm para se manter no mercado com práticas sustentáveis, seja sob o ponto de vista de gestão, seja no aspecto econômico”, afirma Cristiane.

Do outro lado do balcão

Além de servirem bem ao pequeno empresário que precisa administrar com responsabilidade ambiental, as ferramentas digitais focadas nesse tipo de gestão também são uma estratégia para corporações que prestam serviço de consultoria e assessoria em sustentabilidade.

É o caso da Refúgio Engenharia Ambiental, pequena empresa com sede em Belo Horizonte (MG) que lançou em setembro de 2016 a SOL, plataforma com foco na gestão ambiental continuada e de licenciamentos. Foram investidos aproximadamente R$ 40 mil na programação do sistema. A concepção do projeto foi dos sócios.

Com a SOL, a Refúgio, que possui cerca de 20 clientes em sua carteira fixa, pretende ampliar os negócios. Segundo o sócio responsável pela área de marketing e relacionamento, Frederico Viana, a decisão de empreender na ferramenta veio como uma estratégia para driblar os impactos negativos da crise econômica do País, somada à ideia de oferecer algo novo e funcional para o mercado, com foco na sustentabilidade.

“Estávamos crescendo mais de 100% ao ano até 2013. A partir de 2014 houve queda nesse desempenho e, em 2016, registramos retração de 25%”, conta Viana. Segundo ele, a companhia aposta na SOL para a recuperação este ano. “Porém, o crescimento efetivo só deve vir a partir de 2018.”

Há seis meses no mercado, com planos que vão de R$ 350 a R$ 2 mil por mês - variação que depende do número de serviços extras no contrato-, a plataforma possui um cliente da área de construção civil, que usa a ferramenta para a gestão sustentável dos processos, que envolvem 20 obras. “A meta é atender a nível nacional e já temos negociações em andamento com empresas de São Paulo, Rio de Janeiro e Pará”, conta o empresário. 

Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade 

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) lançou a sexta edição do Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade, com inscrições abertas até 20 de novembro de 2017.

A nova edição tem como tema os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Trata-se de uma agenda mundial adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU), com 169 metas a serem atingidas pela humanidade até o ano de 2030. Essas medidas envolvem ações nas áreas de consumo e produção sustentáveis, erradicação da pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, entre outras.

Serão reconhecidos projetos com foco nos princípios da sustentabilidade. As categorias contempladas são: empresa; indústria; órgão público; academia; reportagem jornalística; e entidades empresariais.

Os finalistas serão anunciados em fevereiro de 2018. Os vencedores receberão títulos de capitalização ou previdência, no valor de R$ 15 mil, e troféu. Os trabalhos classificados em segundo e terceiro lugares também serão reconhecidos. Clique aqui (inserir link para o site do prêmio) e saiba mais.

Veja também:

“Ampliamos o escopo do Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade”, diz José Goldemberg
https://www.fecomercio.com.br/noticia/ampliamos-o-escopo-do-premio-fecomercio-de-sustentabilidade-diz-jose-goldemberg

Concessionárias de estradas investem em asfalto ecológico até 40% mais durável
https://www.fecomercio.com.br/noticia/concessionarias-de-estradas-investem-em-asfalto-ecologico-ate-40-mais-duravel

Destinação adequada de resíduos em supermercados catarinenses chega a 97% 
https://www.fecomercio.com.br/noticia/destinacao-adequada-de-residuos-em-supermercados-catarinenses-chega-a-97

Empreendedoras com visão sustentável investem na chamada ressignificação de resíduos 
https://www.fecomercio.com.br/noticia/empreendedoras-com-visao-sustentavel-investem-na-chamada-ressignificacao-de-residuos

Projeto de logística reversa coletou 5 toneladas de eletroeletrônicos
https://www.fecomercio.com.br/noticia/projeto-de-logistica-reversa-coletou-5-toneladas-de-eletroeletronicos 

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU englobam 169 metas mundiais
https://www.fecomercio.com.br/noticia/objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-da-onu-englobam-169-metas-mundiais 

Federação lança o 6º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade
https://www.fecomercio.com.br/noticia/federacao-lanca-o-6o-premio-fecomercio-de-sustentabilidade