Negócios

08/01/2018

Primeira fase do programa Cartão Reforma vai injetar em torno de R$ 87,3 milhões no varejo de materiais de construção brasileiro, aponta FecomercioSP

Segundo a Entidade, apesar de representar apenas 0,8% da receita mensal de vendas do segmento, o montante de recursos não é desprezível, principalmente neste momento de retomada da economia

Primeira fase do programa Cartão Reforma vai injetar em torno de R$ 87,3 milhões no varejo de materiais de construção brasileiro, aponta FecomercioSP

Recursos devem ser utilizados para reformas, ampliação ou conclusão de unidades habitacionais
(Arte: TUTU)

O Ministério das Cidades divulgou recentemente a lista dos municípios contemplados na primeira fase do programa Cartão Reforma, que pretende reduzir o déficit habitacional qualitativo, que atinge cerca de 8 milhões de domicílios do País, segundo o Censo 2010, com base na liberação de recursos para compra de materiais de construção a serem utilizados em reformas, ampliação ou conclusão das unidades habitacionais. Segundo levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), serão liberados R$ 87,3 milhões nesta primeira etapa, divididos entre 94 municípios de 12 Estados. A expectativa é que mais de 17 mil famílias sejam atendidas.

A FecomercioSP estima que o varejo de materiais de construção no Brasil movimente em torno de R$ 11 bilhões por mês, em média, de modo que os recursos liberados nessa etapa do programa representam 0,8% desse total. Contudo, mesmo que os recursos financeiros sejam pouco significativos, eles são bem-vindos neste momento de recuperação, principalmente para as micros e pequenas empresas. O setor foi um dos mais atingidos pela crise econômica do País entre 2014 e 2016.

Veja também:
Minimercados geram mais empregos em 2017 do que super e hipermercados
Na contramão da crise econômica, mercado pet cresce
Confiança que traz lucro: sites que mostram ser seguros tendem a vender mais

Estado de São Paulo
Sete municípios paulistas foram contemplados nessa primeira etapa do programa - Carapicuíba, Franco da Rocha, Osasco, Praia Grande, Santana de Parnaíba, Santo André e Ubatuba - totalizando R$ 8,5 milhões em recursos que devem atender quase 1,7 mil famílias.

Em parceria com Sincomavi, que representa a categoria, a Entidade realizou uma simulação dos impactos do programa Cartão Reforma no varejo de materiais de construção nas regiões que abrigam esses municípios. Os cálculos foram feitos com base nos dados da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV), elaborada mensalmente pela FecomercioSP.

tabelacartaoreforma

Da tabela, observa-se que a região de Osasco, a qual abriga os municípios de Carapicuíba, Franco da Rocha, Osasco e Santana Parnaíba, receberá o maior montante de recursos, de pouco mais de R$ 5 milhões, beneficiando mais de mil famílias. Considerando que o faturamento médio mensal do varejo de materiais de construção na região ao longo de 2017 foi de R$ 172,6 milhões e que os recursos sejam gastos de maneira imediata, o Cartão Reforma alavancaria as vendas do segmento na região em 2,9%, o maior impacto entre as regiões analisadas. Em seguida, estão as regiões do Litoral (1,5%), Taubaté (0,6%) e ABCD (0,3%). Vale ressaltar que, à medida que novos editais forem lançados com mais municípios aderindo ao programa, esse impacto deve aumentar. 

Regiões
ABCD - Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul.

Litoral - Barra do Turvo, Bertioga, Cajati, Cananeia, Cubatão, Eldorado, Guarujá, Iguape, Ilha Comprida, Itanhaém, Itariri, Jacupiranga, Juquiá, Miracatu, Mongaguá, Pariquera-Açu, Pedro de Toledo, Peruíbe, Praia Grande, Registro, Santos, São Vicente, Sete Barras.

Osasco - Barueri, Caieiras, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Embu, Embu Guaçu, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapecerica da Serra, Itapevi, Jandira, Juquitiba, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana do Parnaíba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista.

Taubaté - Aparecida, Arapeí, Areias, Bananal, Caçapava, Cachoeira Paulista, Campos do Jordão, Canas, Caraguatatuba, Cruzeiro, Cunha, Guaratinguetá, Igaratá, Ilhabela, Jacareí, Jambeiro, Lagoinha, Lavrinhas, Lorena, Monteiro Lobato, Natividade da Serra, Paraibuna, Pindamonhangaba, Piquete, Potim, Queluz, Redenção da Serra, Roseira, Santa Branca, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, São José do Barreiro, São José dos Campos, São Luiz do Paraitinga, São Sebastião, Silveiras, Taubaté, Tremembé, Ubatuba.