Economia

18/10/2018

Atacado paulista deve aproveitar o segundo semestre para reduzir estoques com promoções

FecomercioSP recomenda ainda a análise do tamanho do quadro funcional e o estudo dos tipos de contratos de trabalho para essa sazonalidade

Atacado paulista deve aproveitar o segundo semestre para reduzir estoques com promoções

Entre os setores com desempenho positivo estão os de papel, resíduos, sucatas e metais
(Arte: TUTU)

O atacado paulista deve aproveitar o segundo semestre de 2018, composto de meses com os melhores desempenhos do setor, para diminuir seus estoques por meio de promoções. Para tal, é necessário observar as necessidades do público-alvo e facilitar a forma e os prazos de pagamento dos consumidores. A prática dessas ações exige dos empresários planejamento e histórico de mercadorias e da demanda nesse período do ano.

Sobre o mercado de trabalho do comércio atacadista, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) diz ser importante analisar o tamanho do quadro funcional em relação ao ritmo de vendas, assim como os tipos de contratos de trabalho para a sazonalidade.

Veja também:
Setor de serviços ainda deve ter cautela nas contratações nos últimos meses de 2018
Empresário do varejo deve avaliar a necessidade de contratar temporários para o Natal
Setor de turismo paulista volta a eliminar vagas com carteira assinada em julho, aponta FecomercioSP

Em agosto, o mercado de trabalho do setor cresceu pelo segundo mês seguido. Foram criados 1.692 empregos formais. Com isso, o estoque ativo do setor avançou para 504.442 vínculos empregatícios ativos, maior patamar desde outubro de 2015.

Os dados da Pesquisa de Emprego no Comércio Atacadista do Estado de São Paulo (PESP Atacado), realizada mensalmente pela FecomercioSP, mostram que os melhores desempenhos foram vistos nos setores de papel, resíduos, sucatas e metais (313 vagas) e máquinas de uso comercial e industrial (383 vagas). No mês, apenas o grupo de outras atividades sofreu mais desligamentos que admissões (-51 vagas).

No acumulado do ano, 6.292 empregos foram criados. O resultado foi estimulado pelos grupos de papel, resíduos, sucata e metais (1.756 vagas) e de produtos farmacêuticos e higiene pessoal (1.866 vagas). O atacado de alimentos e bebidas (-194 vagas) foi o que mais fechou postos de trabalho celetistas nos primeiros oito meses do ano.

Desempenho regional
O resultado estadual no mês de agosto foi puxado para cima em decorrência dos resultados na capital (401 vagas) e na região do ABCD (246 vagas). No ano, as regiões onde o atacado mais gerou postos de trabalho celetistas foram, respectivamente, a capital e Guarulhos.

Das 401 vagas criadas pelo atacado na capital paulista em agosto, 130 foram registradas no atacado de produtos farmacêuticos e de higiene pessoal. No acumulado de 2018, essas atividades foram as que mais geraram empregos celetistas na região. Dessa forma, o atacado paulistano encerrou o mês com um estoque ativo de 208.549 trabalhadores formais, alta de 1% em relação a agosto de 2017.