Economia

30/11/2018

Aumento na confiança do empresário eleva intenção de investir e contratar

Índice de Expansão do Comércio (IEC) de novembro passa dos 100 pontos e alcança o nível de satisfação

Aumento na confiança do empresário eleva intenção de investir e contratar

IEC registra alta de 6,5% em novembro, atingindo 101 pontos, patamar que aponta interesse em expandir os negócios
(Arte/Tutu)

O mês de novembro aponta para um momento relevantemente melhor nas vendas, e isso deve ser levado em consideração nas projeções para o Natal. Essa perspectiva foi detectada no Índice de Expansão do Comércio (IEC), assim como em outros indicadores de confiança medidos pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) nos últimos meses.

Em novembro, o IEC apontou alta de 6,5%, ao passar para 101 pontos. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o crescimento foi de 1,6%. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A análise dos dados identifica a perspectiva dos empresários do comércio em relação a contratações, compra de máquinas ou equipamentos e abertura de novas lojas.

Veja também
Atacadista precisa avaliar a necessidade de contratar temporários para o fim do ano
Setor de serviços passa por recuperação dos postos de trabalho no Estado de São Paulo
Expectativa para o Natal altera positivamente resultados do Índice de Estoques

Os dois indicadores que compõem o IEC subiram em novembro. A propensão do empresário a investir subiu 6,4% em relação a outubro e atingiu 82,4 pontos, e o item que mede a expectativa de novas contratações teve elevação de 6,6%, ao marcar 119,5 pontos em novembro.

O IEC sofre volatilidades desde o impeachment, em 2016, que ampliou as incertezas políticas e, consequentemente, aumentou o desemprego e inibiu o consumo das famílias brasileiras. Para a assessoria econômica da FecomercioSP, o aumento no IEC é positivo, mas falta o País entrar em um processo de recuperação mais profundo, o que só pode ser alcançado com novas medidas econômicas a seres implementadas.