Editorial

13/02/2017

Casal de peça em cartaz no Teatro Raul Cortez divide o palco e a vida real

Fernanda Vasconcellos e Cássio Reis encarnam os protagonistas da comédia romântica “Enfim, nós”, em apresentações que vão até 19 de fevereiro

Casal de peça em cartaz no Teatro Raul Cortez divide o palco e a vida real

Fernanda Vasnconcellos e Cássio Reis (foto) dão vida ao casal Fernanda e Zeca em apresentações aos sábados e domingos 
(Divulgação/Christian Parente)

Por Jamille Niero

Pela primeira vez desde a estreia, há cerca de 10 anos, a comédia romântica “Enfim, nós” tem entre os intérpretes dos personagens principais um casal de atores que também vive sob o mesmo teto na vida real.

No espetáculo em cartaz no Teatro Raul Cortez, Fernanda Vasconcellos e Cássio Reis encarnam Fernanda e Zeca, um casal que fica preso no banheiro do apartamento em que vive no Dia dos Namorados, e que acaba discutindo a relação enquanto busca uma solução para sair dali.

Para a atriz, o fato de já existir uma intimidade entre os dois ajudou na construção das cenas que exigiam o contato físico. “É como se avançássemos umas casinhas na hora de estrear, porque quando você está com um ator que não é seu par romântico na vida real, você cria esse universo, e o nosso universo nesse lugar já estava pronto, que é a relação íntima ficar confortável”, explica Fernanda.

Já Cássio destaca que, por outro lado, eles precisaram “desconstruir” outras coisas para que não virasse um “reality” dos dois, afinal, a peça tem uma história e a personalidade deles é diferente da dos personagens. “As pessoas podem pensar ‘nossa, parece que não tem texto’, mas tem sim”, brinca o ator. “Até porque as personalidades são quase que invertidas na vida real”, observa Cláudio Torres Gonzaga, responsável pela direção do espetáculo e um dos criadores do texto, em parceria com Bruno Mazzeo. “Isso faz com que exija deles um trabalho de adaptação elaborado porque precisam se distanciar da sua própria personalidade para fazer”, complementa.

Fernanda, que participa pela primeira vez de uma montagem cômica, acredita que foi fundamental o olhar do diretor indicando o tom certo nos ensaios. “Porque ele é um mestre da comédia, foi importante esse olhar para nos afinar, avisando que vai ter o público e as situações, durante a apresentação, teriam um tempo diferente dos ensaios”, explica.

Segundo o ator, o resultado positivo de todo o trabalho aparece na recepção da plateia. “A identificação do público é muito forte e muito grande. Já tivemos muito feedback pós-espetáculo com as pessoas falando ‘meu marido é igualzinho o Zeca.”

“Enfim, nós” fica em cartaz até 19 de fevereiro no Teatro Raul Cortez, na sede da FecomercioSP, com apresentações aos sábados (às 21h) e aos domingos (às 18h). Clique aqui para a compra de ingressos e outras informações.