Economia

27/11/2018

Confiança do consumidor inicia processo de retomada gradual

Apesar de os consumidores se mostrarem mais seguros em relação às suas condições sociais e financeiras, os empresários devem continuar a evitar endividamentos e altos estoques

Confiança do consumidor inicia processo de retomada gradual

Índice de Confiança do Consumidor subiu pelo quarto mês consecutivo em novembro
(Arte/Tutu)

A decisão das eleições de 2018 é um marco na retomada gradual da confiança do consumidor. Em novembro, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do município de São Paulo avançou 6,1% e passou para 114,5 pontos. É a quarta alta seguida do indicador, que varia de 0 a 200 pontos (do pessimismo ao otimismo total). Na comparação interanual, a alta foi de 10,1%.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) alerta que, apesar de os consumidores se mostrarem mais seguros em relação às suas condições sociais e financeiras, os empresários devem continuar a evitar endividamentos e altos estoques.

Veja também
Expectativa para o Natal altera positivamente resultados do Índice de Estoques
Varejista paulista deve avaliar oportunidade de contratar temporários
Inadimplência elevada na cidade de São Paulo inibe consumo

Em novembro, os dois componentes do ICC avançaram na comparação com o mês anterior. O Índice de Condições Econômicas Atuais (ICEA) subiu 6,7% e atingiu 84 pontos. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o item mostrou alta de 16%. O Índice de Expectativa ao Consumidor (IEC) cresceu 5,9% e registrou 134,8 pontos em novembro, sendo que, no comparativo anual, a alta foi de 7,9%.

No resultado apurado pelo ICEA, destacaram-se as duas maiores altas: o grupo de consumidores com renda superior a dez salários mínimos, que avançou 11% e registrou 92,7 pontos, e o grupo de consumidores com idade até 35 anos, que registrou alta de 8,3% e bateu os 93,5 pontos.

Nos índices medidos pelo IEC, destaque para os consumidores com renda superior a 35 salários mínimos e os com idade superior a 35 anos. O primeiro registrou alta de 7,1%, ao passar para 130,3 pontos em novembro; o segundo grupo obteve alta de 8,5%, passando para 134,9 pontos.