Negócios

08/03/2017

Quem compra pela Internet no Brasil?

Confira o perfil do e-consumidor brasileiro retratado pelo estudo Webshoppers, realizado desde 2001 pela Ebit

Quem compra pela Internet no Brasil?

(Arte: Tutu)

Por Alessandra Jarussi

Quase ¼ da população brasileira (cerca de 48 milhões de consumidores) comprou no comércio eletrônico pelo menos uma vez em 2016 – alta de 22% ante 2015. Quem são essas pessoas? Uma mulher, na casa dos 40 anos, moradora da região Sudeste, com renda familiar de pouco mais de R$ 5 mil, representaria o perfil típico do e-consumidor brasileiro.

De acordo com a 35ª edição do Webshoppers, estudo sobre o comércio eletrônico brasileiro realizado desde 2001 pela empresa Ebit, a idade média de quem compra pela Internet no Brasil permanece 43 anos. A distribuição por faixa etária é a seguinte: 8% dos e-consumidores brasileiros têm até 24 anos; 23%, de 25 a 34 anos; 35%, de 35 a 49; e 34% têm 50 anos ou mais. Houve pequenas variações nesse quesito na comparação com 2015, quando esses porcentuais foram, respectivamente, de 8%, 21%, 39% e 33%.

O estudo constata ainda que a participação feminina aumentou no e-commerce. Foram 1.572.584 mais mulheres comprando pela Internet do que homens. O número de e-consumidoras representou 51,6% do total em 2016 ante 48,6% em 2015; a participação dos homens caiu de 51,4% em 2015 para 48,4% em 2016. A renda familiar média dos e-consumidores registrou alta de 8% em 2016, potencializada pelo enfraquecimento da classe C nas compras on-line, e somou R$ 5.142 ante R$ 4.761 de 2015.

As regiões Sul e Centro-Oeste registraram maior crescimento de participação nas vendas do comércio eletrônico, enquanto o Sudeste teve redução, embora seja líder no País, com 60% em 2016 ante 64,5% em 2015. A participação do Centro-Oeste nas vendas brasileiras subiu de 6,3% para 8,5% na comparação anual; do Sul, de 14,8% para 16%; do Nordeste, de 11,7% para 12,5%; e do Norte, de 2,7% para 3%.

Saiba mais
Comércio eletrônico dribla crise e fatura 7,4% mais no ano
Tíquete médio das compras on-line sobe para R$ 418 em 2016
Setor de moda lidera vendas on-line em volume de pedidos