Negócios

30/10/2017

São Carlos e Taubaté são destaques na revista “C&S”

Reportagens especiais fazem parte da série “Interior de São Paulo: Gigante do Comércio Brasileiro”

São Carlos e Taubaté são destaques na revista “C&S”

O interior de São Paulo, sob a ótica do setor de comércio e serviços, responde por 33% de tudo o que se produz na economia nacional
(Arte/TUTU)

Já está disponível para leitura a edição de novembro e dezembro da revista Comércio & Serviços, editada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Nessa edição, C&S dá continuidade à série “Interior de São Paulo: Gigante do Comércio Brasileiro”. Depois de Campinas, abordada na primeira reportagem do especial, e de Tupã e Mogi das Cruzes, exploradas na segunda publicação, agora é a vez das cidades de São Carlos e Taubaté protagonizarem a série.

Veja também:
Gigantes do interior: Região de Marília
Gigantes do interior: Região de Mogi das Cruzes

O interior de São Paulo, sob a ótica do setor de comércio e serviços, responde por 33% de tudo o que se produz na economia nacional, segundo a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

Além da matéria publicada na revista, um conteúdo multimídia composto por dados econômicos pode ser acessado aqui, no Portal da FecomercioSP.

São Carlos recebe destaque da publicação por causa do setor educacional. Atualmente, a cidade tem dois grandes centros universitários: dois campi da Universidade de São Paulo (USP) e um da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). A concentração de universidades e centros de pesquisas faz de São Carlos a residência de cientistas e pesquisadores. Segundo a Prefeitura Municipal, há um pesquisador doutor (PhD) para cada 180 habitantes da cidade, contra um para cada 5.423 da média nacional.

Já Taubaté se destaca pelas indústrias: 127 fábricas de médio e grande portes estão instaladas em seus seis distritos e geram 89 mil empregos. O segmento é o que paga os melhores salários da cidade (em média, R$ 2.331,88), segundo dados de 2017 da Pesquisa de Ocupação, Renda e Escolaridade (PORE), desenvolvida pela Universidade de Taubaté. Já o Produto Interno Bruto (PIB) referente ao setor industrial é o décimo maior do ranking estadual, com 1,5% da riqueza.