Economia

20/09/2019

Desafios de renovação na política e inclusão de lideranças distintas são temas de debate no UM BRASIL

Plataforma reuniu pela primeira vez representantes de três iniciativas que atuam com o objetivo de capacitar lideranças para ingressar na vida política e pública

Desafios de renovação na política e inclusão de lideranças distintas são temas de debate no UM BRASIL

Um dos enfoques desse debate é o desafio de engajar a sociedade para entender e avaliar políticas públicas
(Foto: Christian Parente)

A formação de novos líderes para a gestão pública tem o desafio de aproximar pessoas que consigam colocar as diferenças de lado para trabalhar com agendas que tragam resultados concretos à sociedade. Esse é o resumo de um debate inédito promovido pelo UM BRASIL – uma iniciativa da FecomercioSP –, em parceria com o CIVI-CO em São Paulo.

O canal reuniu a diretora-executiva da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), Mônica Sodré; a diretora-executiva do CLP - Liderança Pública, Luana Tavares; e a diretora-executiva do RenovaBr, Irina Bullara; com mediação do jornalista Denis Russo Burgierman.

Veja também:
Empresa tem o papel de ser agente de transformação social, diz Guilherme Leal
Diálogo é principal forma de construir pontes na política, afirmam novos líderes
Democracia brasileira sofre processo lento de degradação

Na conversa, as três esclarecem que o objetivo de uma renovação não é descartar totalmente a política da forma como é feita atualmente, mas conseguir engajar até mesmo os partidos para que tenham compromisso com a preparação adequada dos que já ocupam cargos no Executivo e no Legislativo. Essas instituições de formação política têm como objetivo o desenvolvimento de pessoas para lidarem com agendas de economia e administração de recursos e de serviços públicos, além de sustentabilidade – uma pauta com tratamento urgente no cenário internacional.

“Eu costumo dizer que não existe a política nova e a política antiga, existe a política boa e a política ruim, e a gente tem de fazer essa análise de uma forma muito séria”, comenta Luana, que também enfatiza a importância de romper as barreiras de vícios e padrões que não reproduzem resultados positivos para o País.

Elas também analisam a distinção quanto ao tratamento dado a candidatos homens e mulheres dentro da atual conjuntura partidária. “A distribuição de recursos hoje está muito calcada nas direções partidárias. Se o dirigente entende que um candidato não é viável, haverá menos recursos financeiros disponíveis para ele. No caso de uma mulher, ainda é mais sensível: se ela não é vista como competitiva, a chance de receber recursos para sua campanha é menor”, pontua Mônica.

Outro enfoque desse debate é em relação aos rumos do País. Elas ressaltam que é fundamental que a população tenha instrução sobre os processos democrático e representativo, de modo a conseguir avaliar a qualidade das políticas públicas.

“Nosso objetivo de existir é trazer gente que nunca participou da política; as palavras de comando aqui são democracia e representatividade” ressalta Irina, que ainda observa que barreiras de entrada na política existem, mas que podem ser superadas por meio de movimentos, de escolas e de instituições. “Não importa qual é o partido ou qual é a ideologia, o que importa é que exista um diálogo qualificado, porque é a partir disso que se fortalece a democracia”, pondera.

Esse encontro marcou o lançamento de uma edição inédita da revista Problemas Brasileiros – publicação que retrata exclusivamente a política nacional em quadrinhos, formato jornalístico reconhecido pelo impacto visual. A revista, editada pela FecomercioSP em parceria com UM BRASIL, já está nas melhores bancas e livrarias.

 
portal__733__charge-renovacaopolitica