Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Economia

11/12/2019

Impulsionado pelo Natal, comércio paulista pode faturar 7% a mais neste mês do que em dezembro do ano passado

Caso a projeção da FecomercioSP se concretize, esse será o maior valor ocorrido no mês de dezembro desde o início da série histórica, em 2008

Ajustar texto: A+A-

Impulsionado pelo Natal, comércio paulista pode faturar 7% a mais neste mês do que em dezembro do ano passado

Expectativa é que as vendas de dezembro sejam lideradas pelas atividades ligadas ao comércio de bens duráveis
(Arte: TUTU)

As vendas reais em dezembro de 2019 do comércio varejista deverão atingir R$ 76,7 bilhões no Estado de São Paulo, faturamento 7% (R$ 5 bilhões) superior ao registrado no mesmo mês do ano passado. A projeção é resultado de uma análise conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e, caso se concretize, esse será o maior valor real de vendas e o mais expressivo índice de expansão ocorridos no mês de dezembro de toda a série histórica iniciada em 2008 no âmbito estadual.

A análise positiva da FecomercioSP considera dois elementos relacionados ao aumento no orçamento familiar que deverão influenciar diretamente esse maior consumo: o primeiro é o aumento dos recursos com o décimo terceiro salário este ano, em comparação ao ano passado com base na ampliação de empregados com registro em carteira e do número de pensionistas. O segundo que tende a impactar o consumo, no último trimestre, é a liberação dos recursos do FGTS/PIS.

Veja também:
Varejo brasileiro deve deixar de faturar R$ 11,8 bilhões em 2020 em decorrência dos feriados nacionais
Com maior uso de carnês, negócios podem ampliar formas de pagamento para garantir bons resultados no curto prazo
Formação de preços eficiente potencializa crescimento das empresas

No primeiro caso, o provável é que parte do décimo terceiro salário seja direcionado ao pagamento de dívidas, mas uma parcela certamente terá como destino o consumo. Mesmo o valor destinado à quitação de dívida deve ajudar a irrigar a oferta de crédito, incrementando as vendas mesmo que indiretamente. Sobre o FGTS, dos R$ 42 bilhões que serão disponibilizados com essa medida em todo o Brasil, cerca de R$ 15 bilhões deverão ser sacados pelos consumidores paulistas entre setembro e janeiro de 2021.

Perfil dos presentes

A FecomercioSP realizou uma pesquisa em 12 de dezembro com 1.100 consumidores na cidade de São Paulo para captar a intenção de gastos com presentes de Natal – tanto para saber quais produtos serão mais procurados, quem da família deve ser presenteado, entre outras informações. Segundo o levantamento, as pessoas devem gastar algo em torno de R$ 600,00 em compras nesse período.

Ao todo, 62,5% dos entrevistados disseram que irão presentear alguém, resultado similar ao de 2018 (62,2%). Além disso, 33,7% responderam que irão gastar mais neste ano do que gastaram em 2018 com compras de Natal. Esse número reforça a tendência de recuperação econômica: em 2016, durante a recessão, 21,8% disseram que iriam expandir os gastos. A pesquisa ainda identificou que, em média, os consumidores usarão 27% do décimo terceiro salário paras as compras.

Quanto ao perfil dos presentes que os consumidores mais tendem a comprar, o destaque deve ser o setor de roupas e calçados, com 40,5% da intenção de compra. Em seguida estão os brinquedos (19,4%) e perfumes e cosméticos (12,5%).

Para a FecomercioSP, com a melhora da economia, as famílias estão conseguindo gastar com produtos mais caros, como é o caso dos brinquedos. Segundo a pesquisa, quanto ao montante destinado aos presentes, as pessoas devem gastar mais com os filhos (31,9%); em segundo lugar estão as mães, com 26%; amigos e parentes com 21,5%; namorados (as) com 13,4%; 5,5% não responderam e 1,7% pretende gastar com presentes para o pai.

Em relação ao que pessoas desejam ganhar de Natal, em primeiro lugar permanece vestuário e calçados, com 25,1%; em seguida estão viagens (12%). A soma dos percentuais de intenção de consumo dos produtos de eletrodomésticos e eletrônicos (televisor, celular, eletrodoméstico, etc.) é de 22,9%.

A FecomercioSP sinaliza que há uma procura maior por bens duráveis, em razão da maior disponibilidade de crédito, conforme apontam as análises de outras pesquisas da Federação.  Por isso, a Entidade lembra da importância das maquininhas de cartão no estabelecimento, já que nível de utilização de cartão de crédito está bem elevado, conforme indica a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC).

Acompanhe a FecomercioSP
Para saber mais sobre as atividades de advocacy da FecomercioSP ou conhecer as atividades dos conselhos da FecomercioSP, fale conosco pelo e-mail ri@fecomercio.com.br. Se você ainda não é associado, clique aqui e conheça as vantagens.