Negócios

30/07/2018

Planejamento é fundamental para o sucesso ao fazer promoções

FecomercioSP orienta empresários sobre o momento ideal para realizar um período promocional eficiente

Planejamento é fundamental para o sucesso ao fazer promoções

Além de ofertar produtos com preços mais baixos, comércio varejista também pode oferecer brindes e sorteios aos consumidores
(Arte: TUTU)

Ter um período para vender os produtos a preços mais baixos do que o costume é uma prática comum no comércio varejista brasileiro e até aguardada por muitos consumidores. Mas qual é o momento ideal para fazer promoções?

O período de promoções é, essencialmente, para o ajuste de estoque, mas também pode ser usado para atrair o consumidor. De acordo com a assessoria econômica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o empresário costuma se precaver para ter um estoque variado em datas comemorativas (como o Natal), mas geralmente precisa fazer ajustes após esses períodos. O mesmo acontece com as trocas de coleções de roupas de inverno e verão quando alguns itens da moda ficam remanescentes e/ou o varejista não tem caixa para deixá-los em estoque.

Veja também
Indicadores econômicos são fundamentais na gestão empresarial
Como aplicar reajustes de preços sem perder clientes
FecomercioSP apresenta características de um bom vendedor no comércio

Para a FecomercioSP, o período ideal para promoção depende da quantidade de estoque a ser vendido, mas não deve ser muito longo – de, no máximo, um mês – nem feito a todo tempo, pois pode dar ao cliente uma sensação de promoções permanentes e de que não há estratégia de venda.

Para um período promocional eficiente, o empresário precisa elaborar um planejamento que inclui antecipar o fluxo de caixa e realizar a divulgação. Segundo a FecomercioSP, isso exige esforço e estudo para buscar os melhores meios de comunicação possíveis para atingir o público-alvo.

O comércio varejista deve comunicar as promoções de forma clara e correta aos clientes, a fim de mostrar que elas não são “fajutas”, ou seja, que não são a “metade do dobro”, por exemplo.

Além de oferecer produtos com preços mais baratos, o comércio também pode proporcionar outros tipos de ações, como brindes e sorteios.

Como fazer sorteios no comércio

A prática de distribuição de prêmios por meio de sorteios, vale-brindes, concursos ou operações semelhantes podem ser feitas por pessoas físicas ou jurídicas, desde que seja requerido um certificado de autorização para realização da promoção, emitido pela Caixa Econômica Federal (CEF). Caso envolva uma instituição financeira, a solicitação também deve ser feita ao Ministério da Fazenda. As empresas devem ainda estar quites com as obrigações tributárias e ainda, com a Previdência Social.

Segundo a assessoria jurídica da FecomercioSP, o descumprimento da regra poderá gerar penalidades às empresas, conforme determina a Lei Federal n.º 5.768/71 e outras normas sobre o tema, que vão desde a cassação do certificado de autorização até o pagamento de uma multa equivalente a cem por cento do valor do prêmio, além da proibição de realizar distribuição gratuita de prêmios por até dois anos.