Economia

07/12/2016

População aponta insuficiência de banheiros públicos no Centro de São Paulo

Entre as possíveis soluções apontadas, entrevistados citaram a reativação de unidades atualmente fechadas

População aponta insuficiência de banheiros públicos no Centro de São Paulo

Pesquisa realizada pelo projeto Renova Centro 20/30 apontou principais desafios da região central de São Paulo
(Arte/TUTU)

Por Alessandra Jarussi

A maioria (94,07%) dos comerciantes, moradores, trabalhadores e frequentadores do Centro de São Paulo considera insuficiente o número de banheiros públicos na região. É o que revela uma pesquisa realizada pelo projeto Renova Centro 20/30 em outubro, quando foram ouvidas cerca de 150 pessoas.

Ulisses Defonso Matanó, gerente da unidade Francisco Matarazzo do Senac São Paulo, entidade que apoia o projeto, avalia que o Centro da capital paulista – mais precisamente a microrregião do Centro Novo de São Paulo – apresenta uma série de particularidades. Uma delas, segundo ele, é que “há 25 mil habitantes na área, mas, durante o dia, circulam 700 mil pessoas. Isso impacta em questões como trânsito, barulho, lixo, calçadas, entre outros, bem como no comércio e nos serviços ofertados na região”.

Diante dessa realidade, a problemática da quantidade de banheiros públicos na região merece ser analisada com muita atenção. Não é incomum quem passa pelo Centro ver pessoas urinando na rua. Cenas como essa certamente prejudicam o comércio local porque afastam potenciais consumidores.

As possíveis soluções aparecem do seguinte modo na pesquisa: 71,76% dos entrevistados falam na reabertura de banheiros públicos fechados; 67,18% apontam a necessidade de construção de novas unidades e 34,35% acreditam que pode dar certo estimular comércio e condomínios para que cuidem dos banheiros públicos e cobrem pelo seu uso.

Fica evidente, assim, a importância do envolvimento dos comerciantes nesse debate porque têm muito a oferecer à região e também a ganhar com a revitalização do Centro.

Sobre o Renova Centro 20/30

A iniciativa reúne pessoas que moram, mantêm negócios, trabalham ou estudam na microrregião do chamado Centro Novo de São Paulo. Essa área, formada pelas avenidas São João, Ipiranga, São Luís e as ruas Xavier de Toledo e Conselheiro Crispiniano, será o palco da implementação de um plano de desenvolvimento local.

A meta é consolidar um método de trabalho e um plano de ação para a região até 2020 e replicá-los até 2030 para os distritos Sé e República, com a possibilidade de o projeto ser estendido para toda a cidade e outros municípios. Inicialmente, foram definidos cinco temas prioritários do plano: lixo, calçadas, banheiros públicos, poluição sonora e poluição visual.

Confira os outros desafios apontados pelo projeto Renova Centro 20/30:

Lixo
https://www.fecomercio.com.br/noticia/lixo-nas-ruas-preocupa-comerciantes-e-moradores-do-centro-de-sao-paulo

Calçadas
https://www.fecomercio.com.br/noticia/buracos-sao-principal-problema-das-calcadas-no-centro-de-sao-paulo

Poluição sonora
https://www.fecomercio.com.br/noticia/vendedores-de-cds-pioram-poluicao-sonora-no-centro

Poluição visual
https://www.fecomercio.com.br/noticia/populacao-considera-pichacao-pior-tipo-de-poluicao-visual-no-centro

renova_centro_infografico_banheiros_publicos-ok