Economia

07/12/2016

Vendedores de CDs pioram poluição sonora no Centro

Ambulantes e estabelecimentos com caixas de som são os que mais incomodam quem passa na região

Vendedores de CDs pioram poluição sonora no Centro

Pesquisa sobre poluição sonora e outros problemas da região foi realizada por integrantes do Projeto Renova Centro 20/30
(Arte/TUTU)

Por Alessandra Jarussi

A poluição sonora transforma a experiência de andar no Centro de São Paulo em um verdadeiro martírio. Os barulhos que mais incomodam são de vendedores ambulantes de CDs que utilizam amplificadores e de estabelecimentos comerciais com caixas de som, de acordo com 40,80% dos entrevistados na pesquisa realizada pelo projeto Renova Centro 20/30 com moradores, comerciantes, trabalhadores e frequentadores da região central de São Paulo.

Em seguida, aparecem os barulhos de veículos, apontados por 36,80% dos participantes. Foram entrevistadas cerca de 150 pessoas, em outubro.

Entre as propostas do projeto para combater a poluição sonora na região estão um estudo aprofundado da lei do Programa de Silêncio Urbano (Psiu) da Prefeitura de São Paulo e a possibilidade de fiscalização compartilhada entre administração municipal e comunidade.

Ulisses Defonso Matanó, gerente da unidade Francisco Matarazzo do Senac São Paulo, entidade que apoia o Renova Centro 20/30, explica as etapas do projeto para se enfrentar os principais problemas da região central, como a poluição sonora. “O desenvolvimento é um processo gradual. Iniciamos pelo planejamento coletivo e entendemos que isto já é uma das transformações importantes, pois estamos formando capital social, recurso fundamental para dar sustentabilidade às propostas de desenvolvimento. Uma outra etapa é a articulação com o poder público. A ideia é de parceria e não de cobrança. Acreditamos que poder público, iniciativa privada e comunidade são capazes de planejar e implementar as propostas necessárias à transformação do local”, ponderou.

Sobre o Renova Centro 20/30

A iniciativa reúne pessoas que moram, mantêm negócios, trabalham ou estudam na microrregião do chamado Centro Novo de São Paulo. Essa área, formada pelas avenidas São João, Ipiranga, São Luís e as ruas Xavier de Toledo e Conselheiro Crispiniano, será o palco da implementação de um plano de desenvolvimento local.

A meta é consolidar um método de trabalho e um plano de ação para a região até 2020 e replicá-los até 2030 para os distritos Sé e República, com a possibilidade de o projeto ser estendido para toda a cidade e outros municípios. Inicialmente, foram definidos cinco temas prioritários do plano: lixo, calçadas, banheiros públicos, poluição sonora e poluição visual.

Confira os outros desafios apontados pelo projeto Renova Centro 20/30:

Lixo
https://www.fecomercio.com.br/noticia/lixo-nas-ruas-preocupa-comerciantes-e-moradores-do-centro-de-sao-paulo

Calçadas
https://www.fecomercio.com.br/noticia/buracos-sao-principal-problema-das-calcadas-no-centro-de-sao-paulo

Banheiros públicos
https://www.fecomercio.com.br/noticia/populacao-aponta-insuficiencia-de-banheiros-publicos-no-centro-de-sao-paulo

Poluição visual
https://www.fecomercio.com.br/noticia/populacao-considera-pichacao-pior-tipo-de-poluicao-visual-no-centro

renova_centro_infografico_poluicao_sonora-ok