Editorial

23/07/2019

Temporada de “Terrenal” no Teatro Raul Cortez chega ao fim nesta semana

Apresentação encena o clássico conflito entre os irmãos Caim e Abel com releitura a partir das relações humanas modernas

Ajustar texto: A+A-

Temporada de “Terrenal” no Teatro Raul Cortez chega ao fim nesta semana

"Terrenal" fica em cartaz somente até 25 de julho, no teatro da FecomercioSP
(Arte/Tutu)

Chega ao fim nesta quinta-feira (25) a temporada de Terrenal – pequeno mistério ácrata no teatro Raul Cortez, na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Espetáculo está em cartaz desde 6 de junho.

A releitura da clássica história bíblica dos irmãos Caim (Dagoberto Feliz) e Abel (Sergio Siviero) tem como pano de fundo os grandes conflitos sociais e os dilemas sobre posse de terra, valor do trabalho, solidão, relações interpessoais e ainda as consequências das escolhas humanas.

De acordo com as avaliações de dois dos atores da peça, o sucesso do espetáculo com o público está em reviver um mito bíblico a partir das relações humanas modernas. Já para o diretor, Marco Antonio Rodrigues, a apresentação trata da “incrível capacidade fabular do homem”, que se presta a adulterar histórias e a esvaziar conteúdos numa tentativa de se proteger da barbárie.

Na montagem, os dois irmãos que compartilham um terreno sem prosperidade discutem como o trabalho moldou a personalidade e a visão de mundo de cada um.

Veja também:
Com casa cheia e forte aclamação do público, “Terrenal” estreia no Teatro Raul Cortez
Amor Profano está de volta ao Teatro Raul Cortez

Caim, homem de reputação, proprietário de uma plantação de pimentões – e preso a essas terras –, que venera o exercício da virtude e da moral, questiona o valor do trabalho de Abel, vendedor de iscas vivas para pescadores, nômade que passa o dia bebendo, que trabalha apenas aos domingos (o dia santo) e cultua a liberdade, o prazer, a independência e o desapego. Uma barreira invisível no palco separa esse terreno e também os ideais de Caim e Abel.

O antagonismo e a rivalidade entre os irmãos se intensificam quando Tatita (Celso Frateschi) – a representação de Deus como pai dos dois – retorna após vários anos ausente.

A direção do espetáculo é de Marco Antonio Rodrigues e Cecília Boal é responsável pela tradução do texto do dramaturgo argentino Mauricio Kartun, ao passo que a trilha sonora é executada por Demian Pinto. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ou pelo site Ingresso Rápido.

Serviço
Terrenal – pequeno mistério ácrata
Temporada/último dia: 25 de julho.
Quinta-feira, às 21h.
Teatro Raul Cortez – Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista, São Paulo (SP).