Negócios

01/02/2017

Aplicativos facilitam a gestão do pequeno negócio

Empresário pode ganhar tempo e evitar erros que possam causar prejuízo financeiro

Aplicativos facilitam a gestão do pequeno negócio

Mercado de aplicativos móveis promete revolucionar não somente a vida das pessoas como também promover rupturas na forma de fazer novos negócios, aposta especialista
(Arte/TUTU)

Por Jamille Niero

A tecnologia pode ser muito útil ao pequeno empreendedor. Afinal, essa corporação costuma ter equipe de trabalho pequena, o que gera desafios diante dos processos operacionais - como atualização dos dados cadastrais dos clientes, pagamento de fornecedores, planejamento de estoque, gerenciamento de vendas e recebimento de faturas, entre outros. São ações que consomem muito tempo do empresário, e podem ocasionar erros na gestão.

“As vantagens são inúmeras no uso de aplicativos (apps), da economia de tempo à redução de custos e/ou o crescimento das vendas. Eles podem ajudar ainda na redução ou eliminação das etapas de um processo de apoio”, aponta Cristina Stevanin, docente de empreendedorismo do Senac Francisco Matarazzo.

Segundo ela, os apps chegaram para ficar, principalmente com o advento da internet das coisas (ou IoT - Internet of Things), responsável por conectar dispositivos eletrônicos. Com isso, o mercado de aplicativos móveis promete revolucionar não somente a vida das pessoas como também promover rupturas na forma de fazer novos negócios.

Recebíveis
Com a proposta de facilitar a gestão dos valores a receber pelas vendas realizadas por meio de cartões de crédito, débito, boletos e outros pagamentos on-line, surgiu a Equals, solução que reúne todas as informações relativas a esses meios em uma única ferramenta. O recurso pode ser acessado por meio de um portal na internet ou pelo aplicativo para o sistema operacional iOs (a versão para Android está com lançamento marcado ainda para janeiro deste ano).

“Nossa ideia é reduzir a complexidade de o empresário ter que checar cada informação em um lugar, dependendo do meio de pagamento e da bandeira, e fornecer esses dados de forma centralizada e unificada. Também facilita a parte financeira da empresa, porque o ajuda a ver quanto tem para receber no dia, como está fluxo de caixa naquele mês, qual o tíquete médio dos pagamentos, quais as taxas que cada administradora cobra, etc.”, explica Fabricio Costa, CEO da companhia.

Hoje, 20% dos 450 clientes já utilizam o app. Inclusive as pequenas empresas, que correspondem a um terço do total de fregueses da Equals. Segundo Costa, são justamente elas as que precisam de maior auxílio para cuidar dos muitos meios de pagamento disponíveis hoje - um mercado que só cresce. “O pequeno, além de cuidar do negócio em si, tem que cuidar do dinheiro, porque não adianta pensar só na venda, já que ele só receberá o dinheiro em alguns dias das vendas que foram pagas com cartão.”

Notas fiscais também exigem a constante atenção do empresário – sejam emitidas ou recebidas. Existem soluções, como a NFE Cloud, que concentram todas em um local, facilitando a visualização. É possível, por exemplo, criar “filtros” que enviam alertas caso seja emitida alguma fatura com valor muito acima do habitual ou monitorar os documentos fiscais expedidos por CNPJ, facilitando a identificação de algo enviado por engano. Além disso, o contador pode ter uma chave de acesso para conferir as notas para o fechamento contábil, liberando o empresário do trabalho de enviar os arquivos.

O sócio fundador da NFE Cloud, Alison Flores, comenta que a quantidade de exigências fiscais das empresas é grande e o pequeno empresário tem dificuldade de atender a todas. Se não estiver atento, corre o risco de errar e ser punido, como no caso de nota fiscal emitida fora dos padrões que pode gerar autuação. “Na maioria das vezes percebemos que o pequeno tem tantas atividades que não consegue dar o foco adequado para a questão tributária, ficando na dependência de o contador monitorar e corrigir possíveis erros. Com a solução eletrônica, a facilidade para cancelar uma fatura ou agregar uma carta de correção é maior”, argumenta.

Cuidados
Qualquer que seja a ferramenta a qual o empreendedor queira aderir, é preciso ficar de olho em alguns pontos. Um delas é conhecer as cláusulas do termo de adesão de cada aplicativo, principalmente acerca da segurança das informações. “Dependendo da função do app, ele irá disponibilizar dados estratégicos de seu negócio e torna-se fundamental compreender de que forma este fornecedor tratará as informações do usuário”, ressalta Cristina, do Senac.

Vale também pesquisar com outros usuários para conferir o nível de satisfação deles com o uso da solução e analisar se vale a pena adotá-la. “É bom ver quem está por trás da operação, se tem fácil acesso para resolver dúvidas e como é o retorno da empresa que fornece o app, porque ao usá-la estará dependente dele”, alerta Pedro Guasti, presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e CEO da Ebit.

Outro conselho de Guasti é em relação a algumas ferramentas gratuitas, que cobram apenas quando o volume de uso ultrapassa certo limite, no modelo chamado “freemium“.

Veja também como usar dispositivos móveis para facilitar o atendimento ao cliente. Especialistas explicam ainda quando vale a pena para a empresa desenvolver uma aplicação própria e dão dicas para quem vende itens tecnológicos não ter prejuízo com os lançamentos constante de novidades.