Sustentabilidade

20/03/2017

Concessionárias de estradas investem em asfalto ecológico até 40% mais durável

Solução sustentável impede o descarte de 600 a 1.000 pneus usados para cada quilômetro

Concessionárias de estradas investem em asfalto ecológico até 40% mais durável

Uso de borracha de pneus velhos substitui matérias-primas poluentes
(Arte TUTU)

Por Deisy de Assis

Empresas administradoras de rodovias com trechos no Estado de São Paulo adotaram soluções sustentáveis para pavimentar as pistas das estradas. Uma delas é o asfalto que usa borracha de pneus usados. O material substitui matérias-primas poluentes e é de 30% a 40% mais durável que os convencionais.

Inscreva-se no 6º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade.

O uso do asfalto de borracha no Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), que está sob concessão da Ecovias, começou em 2003. Segundo a empresa, atualmente, a opção sustentável é usada em 80% do trecho do SAI, que liga a Capital paulista ao Porto de Santos. A Ecovias estima que, ao longo desses 14 anos, mais de 700 mil pneus velhos deixaram de poluir o meio ambiente para compor a massa asfáltica de suas pistas.

Na rodovia Presidente Dutra, administrada pela CCR NovaDutra, a alternativa ecológica também é utilizada, atingindo 15% do total de asfalto aplicado por ano nos seus 402 quilômetros de extensão, que ligam São Paulo ao Rio de Janeiro.

Para se ter uma ideia, para cada tonelada de asfalto são utilizados 150 quilogramas de pneus usados e, na pavimentação de um quilômetro de via, são reaproveitados de 600 a 1.000 pneus, dependendo da espessura da camada colocada sobre a pista.

“Esse reaproveitamento dos pneus velhos provoca uma redução considerável do impacto ambiental que o produto pode causar se não for reciclado”, comenta Cristiane Cortez, assessora técnica do Conselho de Sustentabilidade da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Ela ressalta ainda que qualquer forma de reaproveitamento só é possível, com a devida logística reversa dos pneus pós-consumo.

De acordo com Cristiane, aliado a esse fator ambiental está a alta durabilidade. Valéria concorda e explica: “o de borracha suporta melhor a carga pesada e constante que trafega na rodovia diariamente.”

Esse conjunto de benefícios incentiva a escolha pelo produto mesmo diante do custo, que chega a ser 30% mais caro do que o convencional.

Alternativas aliadas

Ainda no campo da pavimentação, a rodovia Presidente Dutra utiliza o asfalto morno que, com o uso de aditivo, tem a capacidade de reduzir em até 40 graus a temperatura para a fabricação do material. “É uma excelente opção, pois seu processamento em usinas diminui a emissão de substâncias tóxicas e até mesmo cancerígenas”, afirma a coordenadora do Centro de Pesquisas Rodoviárias da CCR NovaDutra, Valéria Faria.

Já no caso do microrrevestimento asfáltico a frio, outra alternativa sustentável adotada pela CCR NovaDutra, não é necessário aquecimento, nem para fabricá-lo, nem para sua aplicação. Trata-se de um material que é sobreposto à pavimentação, como uma capa protetora e uniformizadora para a pista.

“É utilizado em 70% da rodovia e só não usamos mais, pois a técnica exige que a aplicação seja feita durante o dia, período em que as manutenções e obras nas pistas ficam inviáveis, por conta da grande movimentação de veículos”, menciona a coordenadora do centro de pesquisas da concessionária.

Segundo Valéria, o microrrevestimento, 40% mais barato que a solução usinada em altas temperaturas, também tem a vantagem de proporcionar mais segurança para trafegar, uma vez que impermeabiliza a via e melhora a aderência dos pneus no pavimento.

Protegendo fauna e flora

As concessionárias de rodovias também têm adotado medidas protetivas para os animais silvestres que podem sair das áreas verdes que margeiam as pistas e serem atropelados. De acordo com o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE), da Universidade de Lavras, em média 15 animais são atropelados por segundo em estradas do Brasil, o que mostra a dimensão do desafio das administradoras.

O cenário levou a RodoSol, concessionária que administra o trecho da Rodovia do Sol que liga Vitória a Guarapari pelo litoral do Espírito Santo, a desenvolver o programa de proteção e monitoramento de animais silvestres “É o Bicho”. Entre as ações está a construção e manutenção de túneis para a passagem dos animais por baixo da rodovia, os chamados faunodutos. 

Foram instaladas ainda as caixas de terra que registram, pelas pegadas, a passagem do animal por aquele local, o que permite a documentação do comportamento e das espécies que visitam o trecho. De 2003 a 2015, mais de 7,2 mil travessias foram registradas no local.

Para os trechos da rodovia Presidente Dutra em que há incidência de animais, a CCR também adotou medidas.  “Instalamos cercas protetoras nos trechos em que eles são mais frequentes, o que impede que invadam as pistas e sejam atropelados”, afirma a gestora de Relações Institucionais e Sustentabilidade da CCR NovaDutra, Carla Fornasaro.

O cuidado para a preservação dos cursos d’água também auxilia no trabalho de proteção aos animais, uma vez que as matas ciliares [áreas verdes que margeiam rios e nascentes], são reforçadas, o que pode contribuir para a permanência das espécies nos trechos, evitando que invadam as estradas em busca de abrigo e alimentos. “Já plantamos mais de 7.500 mudas em áreas com essas características”, diz Carla.

E com foco nas áreas verdes, a Ecovias desenvolveu, em 2008, o programa Viveiro de Mudas, realizado em parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Diadema, que oferece capacitação profissional a esses jovens dentro do programa. 

Desde o início das atividades, de acordo com a concessionária, o local já plantou mais de 670 mil mudas nativas da Mata Atlântica, que são utilizadas em projetos paisagísticos e na compensação ambiental depois de obras realizadas no SAI. Em 2012, o projeto foi premiado na 9ª edição do Benchmarking Ambiental Brasileiro, que reconhece ações da área de Sustentabilidade no País. 

Educação

De acordo com a gestora de Relações Institucionais e Sustentabilidade da CCR NovaDutra, uma das principais frentes ambientais da concessionária é o projeto “Caminhos para a cidadania” que em 2005 passou a integrar as ações educacionais da empresa. Trata-se de um material didático sobre meio ambiente, que é aplicado aos alunos da rede pública de municípios cortados pela rodovia, a partir da parceria com as Prefeituras.

“Os conteúdos abordados são interdisciplinares e abordam assuntos como economia de água, reciclagem, lixo, consumo, emissões de poluentes e preservação das áreas verdes”, menciona Carla.

Segundo a gestora, desde 2005, aproximadamente 37 mil professores receberam capacitação para o uso do material em sala de aula e mais de um milhão de crianças já foram atingidas pelo projeto, que visa sensibilizar o público infantil e tornar a sociedade mais coerente em relação ao meio ambiente.

Prêmio FecomercioSP de Sustentabilidade

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) lançou a sexta edição do Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade, que acontecerá em março 2018.

A nova edição tem como tema os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Trata-se de uma agenda mundial adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU), com 169 metas a serem atingidas pela humanidade até o ano de 2030. Essas medidas envolvem ações nas áreas de erradicação da pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, entre outras.

Serão reconhecidos projetos com foco nos princípios da sustentabilidade. As categorias contempladas são: empresa; indústria; órgão público; academia; reportagem jornalística; e entidades empresariais.

Os finalistas serão anunciados em fevereiro de 2018. Os vencedores receberão títulos de capitalização ou previdência, no valor de R$ 15 mil, e troféu. Os trabalhos classificados em segundo e terceiro lugares também serão reconhecidos. Clique aqui (inserir link para o site do prêmio) e saiba mais.

Veja também:

Destinação adequada de resíduos em supermercados catarinenses chega a 97%
http://www.fecomercio.com.br/noticia/destinacao-adequada-de-residuos-em-supermercados-catarinenses-chega-a-97

Empreendedoras com visão sustentável investem na chamada ressignificação de resíduos
http://www.fecomercio.com.br/noticia/empreendedoras-com-visao-sustentavel-investem-na-chamada-ressignificacao-de-residuos

Projeto de logística reversa coletou 5 toneladas de eletroeletrônicos
http://www.fecomercio.com.br/noticia/projeto-de-logistica-reversa-coletou-5-toneladas-de-eletroeletronicos

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU englobam 169 metas mundiais
http://www.fecomercio.com.br/noticia/objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-da-onu-englobam-169-metas-mundiais

Federação lança o 6º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade
http://www.fecomercio.com.br/noticia/federacao-lanca-o-6o-premio-fecomercio-de-sustentabilidade