Negócios

18/09/2018

Rede Petz cresce com inovação em atendimento e serviços

Para o empresário Sergio Zimerman, expansão das megalojas não prejudica pet shops menores

Rede Petz cresce com inovação em atendimento e serviços

Áreas administrativas devem ser a maior preocupação de quem empreende no segmento
(Arte: TUTU sobre fotos de Christian Parente)

Com 67 lojas em seis Estados brasileiros e no Distrito Federal, a rede de pet shops Petz tem se destacado no País pela inovação nos serviços, no atendimento e na gestão de pessoal. A estimativa é de que esse número salte para 84 unidades até o fim deste ano.

O presidente da empresa, Sergio Zimerman, explica que o diferencial nos negócios gerou um padrão de identidade da marca, com a instituição de programa de fidelidade, além de serviços veterinários e de estética com profissionais contratados via CLT. “Os nossos 2,1 mil funcionários levam a foto de seu animal de estimação no crachá. O consumidor escolhe sozinho os itens, mas se tiver alguma dúvida, dispomos de funcionários para esclarecer. Decidimos por essa forma porque havia muitas opções, e o cliente costumava ficar em dúvida na hora da compra. Hoje, são cerca de 20 mil itens nas lojas”, comenta.

Veja também:
Empresas exploram aplicativos para estreitar relação com clientes
Na contramão da crise econômica, mercado pet cresce
Azul Linhas Aéreas Brasileiras aposta na alta conectividade

Em entrevista exclusiva à revista Comércio & Serviços, o empresário afirma que a expansão das megalojas – que, juntas, representam 10% do mercado – não prejudica pet shops menores. “Desde que tenham competência, as pequenas podem complementar as megalojas, principalmente em serviços e itens, como ponto de conveniência. Com isso, o que vai acontecer é a reinvenção do pequeno varejo”, opina.

Formado em Administração e Gestão no Brasil e no exterior, Zimerman defende que essas áreas administrativas devem ser a maior preocupação de quem empreende no segmento. “Os diferenciais em serviços e atendimento devem ser levados em consideração. Precisa haver resposta de valor, como localização e atendimento excelentes; veterinário diferenciado; e conveniências, como pegar e entregar os animais em casa. O conselho é prestar atenção nas carências do cliente.”

Segundo ele, os serviços obrigatórios em um pet shop de pequeno porte seriam os de hotelaria, day care e transporte para banho e tosa, algo que as megalojas não oferecem.

Confira a entrevista completa na edição n.º 58 da revista C&S, disponível aqui