Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

19/03/2020

Entenda o impacto do fechamento dos shoppings em São Paulo

Contrate linhas de crédito especiais, renegocie contratos e prazos, empregue jornadas de trabalho especiais, amplie vendas por Whatsapp e internet – confira as orientações da FecomercioSP

Ajustar texto: A+A-

Entenda o impacto do fechamento dos shoppings em São Paulo

Medida deixa lacunas em relação aos custos fixos dos lojistas, como aluguel e tributos, durante o período de fechamento, aponta FecomercioSP
(Arte: TUTU)

Com o avanço da pandemia do coronavírus em São Paulo e a necessidade de evitar aglomerações, o governo estadual recomendou o fechamento de todos os shoppings centers e academias de ginástica da capital e região metropolitana até 30 de abril. A orientação é para que os centros comerciais já parem as atividades entre os dias 19 e 23 de março, e as academias já estejam fechadas até o dia 22 de março.

A medida tem impacto enorme para lojistas e consumidores. A FecomercioSP entende que a gravidade da situação requer que medidas rigorosas de saúde sejam tomadas, mas destaca que os impactos econômicos não foram levados em conta em sua totalidade. É preciso que as empresas tenham condições de se manter nesse momento de crise e de conservar seu quadro de funcionários, evitando uma crise social que pode agravar ainda mais o cenário atual.

Veja também
FecomercioSP sugere à prefeitura ampliação do prazo de pagamento do IPTU e do ISS na capital
Governo federal precisa adotar medidas emergenciais para conter desdobramentos da crise
Pequenas empresas são as mais impactadas com avanço do coronavírus
Queda no fluxo de pessoas e restrição de viagens afetam empresas de médio porte

Tal situação anunciada nesta quarta-feira (18) deixa lacunas em relação aos custos fixos dos lojistas durante o período de fechamento (aluguel, contas de condomínio, tributos e despesas com empregados) e dos franqueados, que somam  outros  compromissos contratuais, além de taxas a serem pagas como royalties, propaganda, sistema e serviço. Nesse sentido, a Federação segue trabalhando incessantemente em prol das empresas do setor de comércio e serviços – de todos os portes –, responsáveis pela geração de empresa e renda no Estado e em todo o País, e propõe medidas emergenciais ao governo do Estado para evitar danos graves à atividade empresarial.

Um dos pleitos, parcialmente atendido, refere-se ao Banco do Povo e ao DesenvolveSP: o governo estadual anunciou a liberação de R$ 500 milhões para aquecer a economia do Estado e também a ampliação do prazo de pagamento diante do avanço do coronavírus.

O que fazer na prática?

A FecomercioSP recomenda que os empresários se mantenham calmos e unidos, acompanhando diariamente as informações e as recomendações a respeito da pandemia. Todos os canais da FecomercioSP estão sendo atualizados constantemente para esclarecer as principais dúvidas e temores das empresas.

Confira a seguir as orientações da FecomercioSP que o empresário já pode colocar em ação:

• Lance mão das linhas de crédito disponibilizadas para capital de giro.
• Negocie prazos de pagamentos.
• Redobre a atenção na administração do seu caixa.
• Não assuma novas despesas.
• Amplie as vendas por canais remotos (Whatsapp e internet).
• Aumente a oferta das opções de pagamento aos consumidores.
• Crie vales-presente e ofereça serviços que possam ser usufruídos quando a situação estiver sob controle novamente.
• Seja transparente sobre alterações de funcionamento ou limitações de compra que venham a existir.
• Implemente jornadas especiais de trabalho, de acordo com as necessidades da empresa.