Sustentabilidade

25/06/2018

FecomercioSP apresenta dicas para consumidor colaborar para a preservação do meio ambiente

Consumo sustentável envolve comprar produtos com menos embalagens e entregar itens usados em sistemas de Logística Reversa

FecomercioSP apresenta dicas para consumidor colaborar para a preservação do meio ambiente

Consumidor que utiliza sacola retornável reduz a necessidade de sacolas plásticas para carregar as compras
(Arte/Tutu)  

As discussões a respeito da preservação do meio ambiente costumam ficar restritas aos papéis dos governos e das empresas para o desenvolvimento sustentável. Contudo, os consumidores também podem fazer a sua parte ao tomar decisões de compra de maneira mais consciente.

A Organização das Nações Unidas (ONU), inclusive, tem o tema “Consumo e produção responsáveis” como um de seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), agenda de recomendações para orientar políticas em defesa dos direitos humanos e do meio ambiente.

Veja também
Proteção ao meio ambiente passa pela redução do uso de plásticos descartáveis
Empresários e cidadãos podem colaborar para reduzir enchentes nas cidades
Mesmo superior à média nacional, tratamento de esgoto no Estado de São Paulo é insuficiente

Com isso, como forma de reduzir os resíduos sólidos acumulados nas residências, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apresenta dicas para o consumidor no ato de compra:

• Verifique a quantidade de embalagem usada em um produto e faça a opção por aquele que tiver a menor quantidade – um xampu, por exemplo, não precisa ser vendido dentro de uma caixa de papelão;
• Dê preferência a produtos vendidos em refis, que também costumam ser mais baratos;
• Opte por bebidas em embalagens retornáveis;
• Escolha frutas, verduras e legumes que não sejam vendidas embaladas em isopores ou filmes plásticos;
• Leve uma sacola retornável quando fizer compras.

Mesmo agindo dessa forma, a quantidade de embalagens acumuladas nas residências ainda é grande. Como o descarte desses itens no lixo comum não é uma ação sustentável, é fundamental levá-los a um Ponto de Entrega Voluntário (PEV), que pode estar disponível em um estabelecimento comercial, ecoponto municipal ou associação ou cooperativa de catadores de resíduos. O consumidor também pode aproveitar o sistema de coleta seletiva de materiais recicláveis, caso o serviço esteja disponível em sua cidade.

Além das embalagens, há outros produtos que geram resíduos nas residências e que não podem ser descartados no lixo doméstico, como óleo de cozinha, pilhas, baterias portáteis, eletrônicos e lâmpadas. Nesses casos, os consumidores podem fazer o descarte ambientalmente correto nos sistemas de Logística Reversa.

Os pontos de entrega são parcerias de fabricantes, importadores, comerciantes e distribuidores. Após a coleta, os materiais são desmontados de maneira segura (sem riscos para as pessoas e para o meio ambiente) e submetidos à reciclagem, voltando à cadeia produtiva, enquanto os rejeitos são descartados de forma adequada.

No Estado de São Paulo, os sistemas de Logística Reversa funcionam por meio de termos de compromisso assinados pelos participantes com a Secretaria do Meio Ambiente. A fiscalização fica por conta da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

Os pontos de entrega dos resíduos sólidos geralmente são instalados em estabelecimentos comerciais. No caso de pilhas e baterias portáteis, todos os estabelecimentos que vendem esses produtos são obrigados por lei a manter um ponto de coleta desses itens.

O consumidor pode saber mais visitando a página do programa de Logística Reversa da FecomercioSP.