Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

03/07/2020

Salões de beleza e barbearias reabrem nesta segunda-feira (6); FecomercioSP vê como positiva a evolução da capital no plano de flexibilização

Bares e restaurantes também estão liberados para abrir, com restrições

Ajustar texto: A+A-

Salões de beleza e barbearias reabrem nesta segunda-feira (6); FecomercioSP vê como positiva a evolução da capital no plano de flexibilização

FecomercioSP acredita que, a partir de agora, empresários, consumidores, entidades representativas e governo devem redobrar a atenção no cumprimento dos protocolos de distanciamento e higiene para evitar o aumento do contágio
(Arte: TUTU)

Salões de beleza e barbearias, bares, restaurantes e similares voltam a atender ao público de forma presencial nesta segunda-feira (6) na capital paulista. A cidade, que evoluiu para a fase 3 (amarela) do plano de flexibilização do governo estadual, conforme anúncio feito em 26 de junho, teve de aguardar por uma nova análise sobre a epidemia.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) considera positivo o encaminhamento do Plano São Paulo, permitindo ao comércio retornar gradualmente, o que demonstra uma grande evolução nos critérios de consciência da população, assim como o sucesso dos protocolos sanitários celebrados entre Poder Público e Entidades representantes do setor empresarial.

Saiba mais sobre o assunto:
Governo atualiza calendário de retomada das atividades consideradas não essenciais no Estado
Baixe aqui o e-book com as orientações sanitárias para a reabertura das empresas
Estabelecimentos paulistas devem garantir que empregados e clientes usem máscaras faciais

Ainda assim, a Federação acredita que, a partir de agora, empresários, consumidores, entidades representativas e governo devem redobrar a atenção no cumprimento dos protocolos de distanciamento social e de higiene para evitar o aumento do contágio de covid-19. O não cumprimento de tais medidas pode elevar o contágio do vírus e levar a um novo fechamento das atividades.

Fase amarela
Como o município manteve estáveis os índices sobre o avanço da epidemia e a taxa de ocupação nos leitos de UTI, os estabelecimentos estão liberados para funcionar conforme o previsto na fase amarela. Nessa fase, além das mudanças na capacidade de público de 20% para 40%, há o aumento de quatro para seis horas seguidas no horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais. As alterações valem inclusive para as lojas de comércio de rua, abertas ao público desde o dia 10 de junho.

Sendo assim, os estabelecimentos de beleza, estética e bem-estar poderão realizar atendimento presencial sem horário fixo estabelecido, assim como os escritórios. Já o comércio de rua deve atender das 10h às 16h, enquanto que shoppings podem funcionar nessa nova fase das 6h às 12h ou 16h às 22h.

Regras
As medidas condicionadas à abertura dos setores de comércio e serviços vão desde a implantação de regras que possibilitem o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas nos locais, até a limpeza de ambientes.

Também vale ressaltar que a cidade continua em quarentena até 14 de julho. Isso significa que permanece a recomendação para que a população evite deslocamentos desnecessários, aglomerações e que usem máscaras.

Histórico
A quarentena se iniciou em 24 de março, nos 645 municípios do Estado, para conter o avanço do novo coronavírus. Desde então, a medida restritiva foi prorrogada com a permissão do funcionamento de atividades consideradas essenciais, como supermercados, padarias, açougues, farmácias e hospitais. Desde então, muitos estabelecimentos funcionam apenas com serviços de entrega delivery ou mediante compra sem sair do carro (drive-thru). Tais ações foram necessárias para impedir o fechamento de mais empresas.

A retomada gradativa das atividades consideradas não essenciais segue os critérios do calendário escalonado em cinco fases para diferentes regiões estaduais. O programa apresentado pelo governo do Estado flexibiliza as restrições nas cidades conforme a redução no número de novos casos de covid-19 e a taxa de ocupação nos leitos de UTI.

Nele, a capital começou na fase dois (laranja) – etapa que permite as aberturas de comércio e shopping centers, concessionárias, atividades imobiliárias e escritórios, com medidas restritivas. Entretanto, a reabertura dependia da autorização da prefeitura, após análise de protocolos setoriais.

Na fase anterior, a laranja, a capacidade nos locais estava limitada a 20%, e o horário de funcionamento não devia extrapolar as quatro horas.

Acompanhe a FecomerioSP
A FecomercioSP tem usado diversos canais de informações para orientar o empresário sobre os protocolos sanitários e ressalta que a responsabilidade é de todos no dever de retomar a economia com segurança à saúde.