Economia

27/12/2019

Vendas do comércio varejista crescem em todas as regiões do Estado e em todos os setores em 2019

Pesquisa estima crescimento de 6% para o varejo em 2019; caso se confirme, resultado será superior ao dos últimos oito anos

Ajustar texto: A+A-

Vendas do comércio varejista crescem em todas as regiões do Estado e em todos os setores em 2019

Assim como vem ocorrendo com o comércio varejista, o setor de serviços na capital também teve crescimento significativo nas receitas
(Arte: TUTU)

O segundo semestre de 2019 registrou um novo fôlego para o setor varejista de São Paulo. A consolidação mais recente da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV) aponta um crescimento acumulado de 5,7% no varejo do Estado entre janeiro e setembro, em comparação com o mesmo período de 2018. De acordo com estimativas dessa apuração, o varejo paulista deve fechar o ano com alta de 6% em relação ao ano passado, com faturamento total de R$ 741,4 bilhões. 

Para o quarto trimestre de 2019, é esperada a permanência do ambiente positivo que, segundo a pesquisa, está fundamentado no otimismo dos consumidores. Há uma perspectiva positiva quanto aos rumos da economia, maior quantia de dinheiro disponível e mais acessível aos consumidores com a liberação de recursos do FGTS, além da maior injeção do montante do décimo terceiro salário na economia. 

O levantamento é realizado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que entende que isso representa um impacto direto da melhoria econômica a partir do segundo trimestre e de outros fatores que garantiram um aumento mais consistente nas vendas, de forma disseminada em todos os setores e em todas as regiões do Estado. 

Veja também:
Lojista não pode ser responsabilizado por uso indevido de cartão
Nichos de mercado: inove e faça a diferença para o consumidor
Falta de troco: confira dicas de como evitar esse problema na sua loja

Comparando o resultado estimado para 2019 de alguns segmentos do varejo com o apurado em 2018, os setores de bens duráveis são os que mais se destacam, com crescimento previsto de 8%; os semi e não duráveis devem crescer em um patamar de 5%, em média. As lojas de móveis e decoração, de materiais de construção, de autopeças e acessórios e as farmácias e perfumarias devem registrar dois dígitos de aumento nas vendas em comparação a 2018. Confira na tabela abaixo:

info__pccv_1

Se as vendas reais no quarto trimestre seguirem essa projeção, 2019 registrará o maior crescimento de vendas dos últimos oito anos no varejo paulista, afirma a FecomercioSP. Juntamente aos bons resultados do setor de serviços, esse pode ser um grande indicativo de uma retomada econômica e produtiva mais consistente em 2020, explica a Entidade. 

Outros elementos que beneficiaram diretamente o resultado de 2019 registrado até setembro (de 5,7%) foi a permanente melhoria dos principais indicadores ligados à renda, à queda da taxa de juros, à baixa inflação, ao nível de emprego e à facilidade de acesso a crédito. Também é importante considerar que uma grande movimentação de recursos no comércio no fim do ano é observada na Black Friday, uma data cada vez mais representativa para o varejo. 

Quanto à liberação do FGTS, caso se confirme o ritmo de saques estimado pelo governo, dos R$ 42 bilhões que devem ser injetados com essa medida em todo o País, cerca de R$ 15 bilhões deverão ser sacados pelos consumidores paulistas a partir de setembro, irrigando mensalmente o orçamento das famílias paulistas em mais de R$ 3,7 bilhões. 

Desempenho regional 

A tabela abaixo registra a estimativa dos resultados regionais para 2019 do varejo na capital paulista. A partir dessa projeção que leva em conta o quarto trimestre, Osasco deve ser a região com maior crescimento de vendas (9%), enquanto que regiões como o Litoral, Campinas, São José do Rio Preto e Jundiaí devem se destacar, com resultados estimados em 7% acima daqueles apurados em 2018. Confira:

info__pccv_2

Avaliação do desempenho do setor de serviços em 2019 

Assim como vem ocorrendo com o comércio varejista, o setor de serviços da capital paulista registrou alta significativa nas receitas. Até setembro, o setor apresentou um crescimento acumulado de 17%, conforme os últimos dados já consolidados pela FecomercioSP na Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS). Apenas em setembro, houve expansão de 19% no movimento mensal em comparação com setembro de 2018, com faturamento de R$ 35 bilhões.

Considerando as projeções para o último trimestre do ano, o setor de serviços na cidade de São Paulo deve encerrar 2019 com alta de 16% em relação ao ano passado – com receita de R$ 409,9 bilhões e com retomada generalizada no ritmo produtivo. Caso isso se confirme, será o melhor resultado de vendas registrado na série histórica iniciada em 2010. 

Pelo resultado apurado até setembro e pelas projeções do quarto trimestre, as atividades que devem se destacar em 2019 são: serviços bancários, financeiros e securitários (56%), mercadologia e comunicação (15%), saúde (12%) e educação (11%). A categoria de serviços de representação é a única que deve ter queda (-13%). 

A FecomercioSP avalia que o crescimento do faturamento do setor de serviços no decorrer do ano se deu pela melhora da confiança dos agentes econômicos, levando-se em conta fatores que também influenciaram no resultado do varejo, como retomada do crédito, juros em queda e melhoria nos índices de desemprego em meio a um cenário de inflação estabilizada em patamares baixos. 

Faça parte

Se você tem interesse na melhoria do ambiente de negócios para que a sua empresa possa crescer, conheça melhor a FecomercioSP. Você pode se tornar um associado e ter acesso a conteúdos e serviços exclusivos, além de descontos em eventos e outros benefícios.