Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

11/12/2020

Governo paulista atende pleito da FecomercioSP e comércio passa a funcionar por até 12 horas diárias

Medida é válida para todo o Estado de São Paulo

Ajustar texto: A+A-

Governo paulista atende pleito da FecomercioSP e comércio passa a funcionar por até 12 horas diárias

É essencial que o comércio siga cumprindo os protocolos sanitários
(Arte: TUTU)

O governo estadual anunciou, na sexta-feira (11/12), a ampliação do horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais no Estado de dez para 12 horas. Estes locais podem funcionar até as 22h, mantendo a capacidade máxima de ocupação de 40%. Lembrando que todas as regiões ainda estão na fase amarela até que uma nova avaliação seja feita, em janeiro.

Para os restaurantes, o funcionamento também vai até as 22h, com capacidade de 40% de ocupação e mesas para até seis pessoas, mas com venda de álcool somente até as 20h. As mesmas regras valem para as lojas de conveniência. Já os bares só podem atender até as 20h.

A ampliação do horário atende a um pedido da FecomercioSP ao governo estadual, que reforçou, em ofícios enviados nas últimas semanas, que a redução do horário de funcionamento, com a proximidade do Natal, seria prejudicial para o fluxo seguro de consumidores, além de comprometer a retomada da economia em todo o Estado.

Leia sobre outros assuntos relevantes para o comércio
Participação do e-commerce no varejo físico terá crescimento de forma estabilizada depois da pandemia
Saiba como montar uma operação de comércio eletrônico em meio à pandemia
Alento do varejo na pandemia, e-commerce paulista vai faturar 32% a mais em 2020

Em documento enviado ao governador João Doria, a FecomercioSP destacou que a abertura mais ampla dos estabelecimentos permite melhor distribuição populacional nos corredores comerciais, no interior das lojas e no deslocamento de funcionários e consumidores, evitando aglomerações e mais difusão do vírus.

A Entidade também reforçou ao governador que o comércio paulista registra, em 2020, um saldo negativo de 91.164 empregos formais, considerando a base de dados do Ministério da Economia. Além disso, atividades que estavam restringidas pelas medidas de isolamento social – como lojas de vestuário e concessionárias de veículos – terão retração até o fim do ano, com previsão de prejuízo de aproximadamente R$ 27,4 bilhões, segundo projeção da FecomercioSP.

Vale lembrar que, no fim de novembro, Doria reconheceu que o setor comercial tem aplicado corretamente as medidas determinadas pelo centro de contingência estadual de covid-19, isto é, os protocolos setoriais para impedir a disseminação do novo coronavírus. 

Neste sentido, a FecomercioSP tem cumprido o seu papel de difundir os protocolos, além de orientar permanentemente a base de sindicato filiada e os empresários sobre a necessidade do integral cumprimento das regras de saúde para que este cuidado tenha continuidade.