Índice de Estoques

Proporção de empresários com estoques altos sobe em agosto

O Índice de Estoques (IE) do comércio paulistano sofreu em agosto a terceira queda consecutiva (-2%) – 114,5 pontos ante os 116,7 pontos de julho. A proporção dos que consideraram os estoques adequados caiu 1,1%: de 58,3% em julho para os atuais 57,1%. Entretanto, em relação ao mesmo período de 2018 (52,2%), registrou alta de 4,9 pontos porcentuais.

Entre as pequenas empresas 28,4% estão com estoque altos, enquanto nas grandes, a proporção é menor, 16,7%. Quanto aos estoques baixos, a média não apresenta tanta diferença: 14,5% e 16,7%, repectivamente. Como se nota, o problema de gestão de estoques atinge de fato a pequena empresa com muito mais força, comprometendo capital de giro e tirando competitividade.

Sobre

O Índice de Estoques é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde junho de 2011. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total.

Como é obtido

A partir de entrevistas com cerca de 600 empresários do comércio dos municípios que compõem a Região Metropolitana de São Paulo.

Utilidades

Da análise dos números, é possível identificar a percepção dos pesquisados em relação à inadequação de estoques para “acima” (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e para “abaixo” (caso os empresários avaliem a falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo).

Análise de Índice

De:

Até:

Selecione ao menos uma das Segmentações para visualização

Conteúdos relacionados