Índice de Estoques

Índice de Estoques tem alta de 2,7% frente a maio

Em junho, o Índice de Estoques (IE) atingiu 108,5 pontos, crescimento de 2,7% na comparação com maio - segunda alta mensal consecutiva - e 15,7% superior ao registrado em junho de 2016. Apesar da alta, os resultados de junho não trazem grandes novidades positivas, já que a melhora do indicador foi motivada pela queda de 1,6 ponto porcentual (p.p.) na parcela de empresários que afirmaram estar com estoques abaixo do ideal, atingindo 13,5%, enquanto os que consideram seus estoques acima do adequado permaneceu estável, em 32,1%.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, os diferenciais entre estoques acima e abaixo caíram bastante recentemente após terem permanecido elevados por bastante tempo, e tiveram uma pequena alta neste mês. A Entidade pondera que os estoques continuam em patamares melhores do que no passado recente, mas aquém do desejável para uma economia em sua plenitude (algo que ainda não ocorreu). A proporção de empresários com excesso de produtos nas prateleiras tem se mantido um pouco acima do esperado, e com o ritmo da recuperação muito lento, dificilmente haverá alterações significativas no curto prazo.

Para ter acesso à análise completa, clique aqui.

 

Sobre

O Índice de Estoques é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde junho de 2011. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total.

Como é obtido

A partir de entrevistas com cerca de 600 empresários do comércio dos municípios que compõem a Região Metropolitana de São Paulo.

Utilidades

Da análise dos números, é possível identificar a percepção dos pesquisados em relação à inadequação de estoques para “acima” (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e para “abaixo” (caso os empresários avaliem a falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo).

Análise de Índice

De:

Até:

Selecione ao menos uma das Segmentações para visualização

Conteúdos relacionados