Índice de Preços de Serviços

Índice de Preços de Serviços cresce 0,22% em setembro

O Índice de Preços de Serviços (IPS) passou de um declínio de 0,08%, em agosto, para a elevação de 0,22%, em setembro. No acumulado dos últimos 12 meses, os serviços obtiveram variação positiva de 5,03%. No período compreendido entre janeiro e setembro de 2018, houve uma elevação de 3,08%.  

Dos oito segmentos que compõem o IPS, dois encerraram o mês com queda em seus preços médios no comparativo com agosto: educação (-0,05%) e alimentação e bebidas (0,10%). 

Por outro lado, o aumento em habitação (0,42%) impulsionou a alta de serviços. No acumulado dos últimos 12 meses, obtiveram variação positiva de 8,5%. No período compreendido entre janeiro e setembro de 2018, houve uma elevação de 5,56%. Os destaques do mês foram vistos em energia elétrica residencial (1,57%) e aluguel residencial (0,19%). No caso da energia elétrica, já está em torno de 21,36% mais cara do que há um ano.

Clique aqui para ter acesso à análise completa.

 

Sobre

Índice de Preços de Serviços (IPS) tem como objetivo acompanhar de forma sistemática e distinta a evolução dos preços de serviços e avaliar seu impacto sobre as diversas classes de renda.

Como é obtido

Coleta de variações de preços de 66 itens de consumo de serviços apuradas pelo IBGE e que compõem o cálculo do IPCA na região metropolitana de São Paulo. A soma dos pesos dos 66 itens de serviços é reponderada de forma que somem 100% do consumo de serviços das famílias em média e também na divisão para cada faixa de renda.

Utilidades

O indicador proporciona comparações importantes sobre os efeitos dos preços de serviços sobre os orçamentos não apenas em diferentes faixas de renda, mas também por tipo de consumo das famílias.

Análise de Índice

De:

Até:

Selecione ao menos uma das Segmentações para visualização

Conteúdos relacionados